Quem deve fazer pesquisa de mutações genéticas (testes genéticos)?

A identificação de mutações genéticas pode impactar o planejamento cirúrgico, radioterápico e sistêmico da doença, além do seguimento após a finalização do tratamento. A recomendação da Sociedade Americana de Cirurgiões de Mama é que todas as mulheres com câncer de mama façam a pesquisa de mutações genéticas (testes genéticos). Aqui no Brasil, no entanto, o acesso ao exame ainda é desafiador, mas não há como negar o papel dessas informações genéticas no tratamento do tumor. O ideal é que os testes sejam realizados por mulheres com:

– Câncer diagnosticado antes dos 50 anos;

– Mais de um câncer de mama identificado;

– Câncer de mama bilateral;

– Câncer de mama triplo-negativo (ER-negativo, PR-negativo e Her-2 negativo);

– Histórico familiar de outros tipos de câncer.

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp